Desenroladas


Pesquisa científica da Natura mostra efeito positivo do batom vermelho na autoestima feminina

meuvermelho_campanha 1

Lembram quando falamos aqui no Desenroladas sobre o batom vermelho e o empoderamento feminino? Pois a Natura lançou uma pesquisa que reforça essa simbologia dos lábios encarnados.

Item clássico da maquiagem, o batom vermelho é considerado há anos um dos símbolos do poder feminino. A pesquisa científica conduzida pela equipe de inovação da Natura demonstrou que o batom vermelho eleva a autoestima das mulheres.

“Me senti mais poderosa maquiada, principalmente depois que eu experimentei o batom”. Depoimentos como esse sintetizam os resultados alcançados pelo estudo, realizado em São Paulo, com 31 mulheres de 25 a 41 anos e tons de pele heterogêneos. “Constatamos que o batom vermelho é capaz de aumentar a percepção de beleza, feminilidade, alegria e autoestima”, afirma Daniel Gonzaga, diretor de desenvolvimento de produtos.

Em comum, as mulheres que participaram da pesquisa gostam de se maquiar com frequência, mas não tinham o costume de usar batom vermelho. Cada uma delas estava acompanhada de uma amiga de sua confiança quando o assunto é beleza, que contribuiu com impressões durante a pesquisa.

meuvermelho_campanha 4

“As sensações positivas eram potencializadas quando as amigas elogiavam a aparência das participantes com o batom usado na pesquisa”, conta Gonzaga. “Foi possível comprovar que o batom empoderava essas mulheres a se relacionar com o mundo de uma forma mais confiante”.

As emoções das voluntárias foram avaliadas em três etapas: na primeira, estavam sem nenhuma maquiagem; na segunda, usavam apenas base para uniformizar a pele do rosto; por último, além da base, o batom matte FPS 10 Meu Vermelho da linha Natura Aquarela. Entre cada uma dessas fases, elas puderam se observar no espelho e fazer uma autoavaliação, respondendo a um questionário padrão. A amiga de cada uma das participantes também a avaliou em cada um desses momentos.

Todo o processo foi filmado e as imagens das voluntárias – sem maquiagem, com base e, por fim, com batom – foram avaliadas objetivamente por um software de análise de expressões faciais. “Com essa tecnologia, mapeamos as emoções positivas e suas intensidades ao longo da experiência da maquiagem”, afirma Gonzaga.

As participantes relataram ter estabelecido uma nova relação com o batom vermelho. “Até então, muitas delas acreditavam que a maquiagem poderia deixá-las com aparência muito extravagante ou vulgar. Para elas, a experiência foi uma oportunidade para refletir sobre como se sentiam como mulheres e questionar alguns padrões sociais”, pontua o diretor de desenvolvimento de produtos da Natura.