Desenroladas


Lush e o combate à violência contra a mulher brasileira

O Brasil ocupa o 5º lugar no ranking de feminicídio, no qual três em cada cinco mulheres sofreram ou sofrem algum tipo de violência. E não, não estamos aqui só falando daquele tipo de violência que deixa marcas visíveis, mas também psicológicas. A LUSH (e todas nós) precisamos falar e – por que não? – lutar contra isso.

A LUSH é uma marca inglesa de cosméticos 100% vegetarianos, sem conservantes, produzidos de forma artesanal e sem realizar testes em animais. A marca está no Brasil desde junho de 2014 e possui um posicionamento ativista perante ao direito dos animais e sustentável em relação a toda a sua linha de produção. Além de tudo isso, a LUSH acaba de lançar a sua primeira campanha em prol do direito das mulheres no Brasil.

Esse é o tema que deu origem à campanha (primeira de muitas), protagonizada pela ONG Artemis, a qual visa a promoção da autonomia feminina e erradicação da violência contra a mulher. O nome dessa campanha é #tambéméviolência e tem como objetivo conscientizar a todos de que violência contra a mulher não é só agressão física, é também a agressão psicológica, moral, patrimonial e sexual. Todas elas, sem exceção, aprisionam e calam milhões de mulheres diariamente.

14354918_800146150087869_7107930442628200907_n

A campanha tem início com uma mesa de debates e conta com a presença de Silvia Chakian (Promotora de Justiça e Coordenadora do GEVID do Ministério Público do Estado de São Paulo), Alice Bianchini (Doutora em Direito Penal, Integrante do Conselho Especial da Mulher Advogada da OAB Federal e autora do livro “Lei Maria da Penha”), Raquel Marques (Presidente da ONG Artemis) e Renata Pagliarussi (diretora geral da LUSH no Brasil). O momento também conta com um espaçø para perguntas e respostas, visando uma conversa totalmente colaborativa.

#tambéméviolência acontece no dia 27 de setembro, a partir das 19h, na LUSH Spa Jardins, em São Paulo.

SERVIÇO
LUSH Spa Jardins – Rua da Consolação, 3459 – SP
Confirme sua presença no evento.

4 marcas que ganharam nossos corações

Dica de achadinho é sempre bom, né? E a nossa dica de hoje são quatro lojinhas que ganharam os nossos corações nos últimos tempos. Algumas daqui de Fortaleza mesmo, outras de fora do estado, mas todas com um fator em comum: a facilidade de comprar pelo Instagram e redes sociais.

Então, vamos começar:

Atelier Pepita

A marca nasceu em 2013 e à quatro mãos, com as sócias e irmãs Thais e Fernanda Salim. O sonho das duas sempre foi um só: enfeitar os braços das mulheres cariocas. Especializada em pulseiras e adepta do conceito “tudo junto e misturado”, o Atelier Pepita conta com uma variedade enorme de modelos… É sério, a quantidade de formatos, modelos, texturas e banhos são muitas! Aqui em Fortaleza, vende na Ahazando.

Pepita completa

Ziovara

A Ziovara é uma dessas lojas que a gente bate o olho no Instagram e já quer sair comprando tudo. Com uma pegada meio 70s, meio mermaid e super descolada, a marca possui peças criativas, diferentes e que deixam a gente (e o bolso também, né?) beem feliz!

Ziovara completa

Mischief

A Mischief é uma marca daqui de Fortaleza que tem uma única premissa: proporcionar diversão. Feita para pessoas, ela é sem gênero, ou seja, homens e mulheres podem usar a roupa que quiserem pois não há tal distinção.
Original, experimental e ousada, a Mischief é única!

Mischief completa

Gipsy

Bom, a Gipsy conquistou nosso coracão já faz um tempo, mas a nova coleção está tão maravilhosa que não poderíamos deixar de citá-la aqui!
A marca se propõe a levar uma pouco de magia, cores e novos sentimentos a quem busca roupas autênticas e autorais.

 Gipsy completa

Gostou das nossas dicas? Tem alguma marca autoral que você ama? Compartilha com a gente!

Celebrando a diversidade: Liora K ensinando a gente a se amar do jeito que somos

Uma certa vez, a ‘filósofa contemporânea’ Lady Gaga recitou: I’m beautiful in my way, ’cause God makes no mistakes.

Não, não estamos aqui pra falar de religião, apesar de Gaga ter dito “eu sou bonita do meu jeito, porque Deus não comete erros”. Nos tempos do Photoshop e filtros do Instagram, a pensadora (ou cantora, como você preferir), não poderia estar mais correta. Pro post de hoje, me inspirei em dois ensaios que a fotógrafa Liora K fez em 2013 e 2014. Nos dois ela celebra uma das maiores virtudes da vida: amar a si mesmo, do jeitinho que a gente é.

Para toda barriga saliente e celulite, photoshop. Eis os mandamentos dos anos 2016. E eu insisto: para toda vergonha, sem-vergonhice. Isso mesmo! Existe coisa mais linda do que uma mulher saudável e que aceita o corpo, o rosto, o cabelo e cada buraquinho de celulite do jeito que ele é? Existe não!

Apenas 5% das mulheres do mundo inteirinho (sim, do mundo inteirinho) têm o corpo igual ao das modelos das propagandas. Gente, então, se 95% do resto tem o corpo diferente…Tem algo de errado nesse angu, né? Na verdade, o errado mesmo é querer padronizar o que há de mais belo no ser humano: a diversidade.

Então, antes da gente apresentar o ensaio ma-ra-vi-lho-so da Liora K, fica aqui nossa dica pra vida toda: você é, sim, bonita do jeito que você é!

03cbe836a0c11d68dcafe8567dfe6dde
101
160726792-f960bed7-2c3e-4a52-acf1-a0da689941f1
tit
Liora-K-Photography-1-800x532

P.S: Ao escrever o post, acabei lembrando de um projeto que é tudo de bom. Ele celebra a diversidade do corpo, a diversidade de pensamentos e a liberdade de escolha, de escolher ser quem eu quero ser. O “A Beautiful Body Project” engloba tudo aquilo que a gente acha mais bonito: a maternidade e a beleza do corpo, auto estima, amor próprio, as belezas do tempo e a sua habilidade de curar tudo. Vale o clique no link!