Desenroladas


Por linhas e agulhas: a reinvenção do crochê

blog2

A designer Karen Bazzeo reinterpreta a arte do crochê (Foto: Clara Dourado)

Peças feitas a mão ganham novas interpretações por meio de jovens designers que veem no crochê possibilidades muito além da tradição, associando o material ao luxo e a arte

Imagine uma mulher em meio a agulhas e linhas produzindo peças de crochê. Se você pensou no estereótipo de uma “avó”, prepare-se para rever seus conceitos. Existe um movimento forte de retomada dos trabalhos manuais por parte da chamada “geração Y” – quem está hoje na faixa dos 20 e 30 anos – usando técnicas tradicionais para inovar na moda e no campo artístico. Para a diretora de arte Karen Bazzeo, 29 anos, a experiência como designer é essencial para fugir do comum na hora de realizar suas peças em crochê. “Isso me deu uma noção visual mais apurada, como combinação de cores e composição. Quando faço meus projetos, crio antes um gabarito no computador e calculo todos os pontos para não ter erro”, conta a paulista.

blog1

Karen e seu espaço criativo em São Paulo (Foto: Clara Dourado)

Suas ideias são traduzidas em linhas que formam objetos de decoração e também inserções na paisagem urbana, um processo chamado de “yarn bombing” (do inglês, “bombardeio de linha”). “É uma forma de incluir o crochê como arte urbana, como se fosse um grafite”, explica Karen. Um de seus projetos recentes inclui a confecção de uma “roupa” inteirinha de crochê aplicada sobre um grafite dos artistas Felipe Primat e Julio Fala, na região de Pinheiros, em São Paulo.

blog3

O “yarn bombing” conjunto de Karen, Felipe Primat e Julio Fala

Social

Além disso, ela dá vida ao projeto “Pegue um Coração” no qual cria pequenos itens de crochê e os espalha pelas ruas, junto com frases positivas. “Também criei a hashtag #pegue1coracao através da qual as pessoas podem compartilhar nas redes sociais as fotos que fazem das peças que criei. A resposta do público tem sido muito boa”, conta com um sorriso largo e demonstrando surpresa. Iniciado em 2013 em sua cidade natal, Bauru (SP), o projeto já passou também por São Paulo, pelo Rio e está de malas prontas para o nordeste brasileiro. “Vou fazer um ‘mochilão’ em 2015 com o intuito de conhecer e aprender novas técnicas manuais com as rendeiras nordestinas. Começo por Salvador (BA) e termino em Fortaleza (CE). A ideia é espalhar meus corações de crochê por todas as cidades que passar, pois essa é uma forma de me expressar e deixar algo para a população local”. Essa conexão com o todo e preocupação em gerar algo positivo em meio ao caos urbano, também permeiam o trabalho de Priscila Curce, 28 anos, estudante de Design de Moda. Ela integra o Coletivo Agulha, grupo de intervenção urbana que espalha peças coloridas em crochê por algumas áreas de São Paulo, como o Parque Buenos Aires e o Elevado Costa e Silva (conhecido como Minhocão). “Trabalhamos a polifonia têxtil com a intenção de que as pessoas parem e observem o espaço urbano de outra forma. É um presente nosso para acidade”, reflete.

blog

Priscila participa do Coletivo Agulha que realiza “yarn bombing” em São Paulo, como este no Parque Buenos Aires (Foto: Clara Dourado)

Participando também de diversos projetos e ONGs, Priscila ampliou sua forma de pensar o mercado fashion e sua possível função transformadora social. No momento ela trabalha com a busca da valorização da imagem da mulher com câncer por meio de um projeto da faculdade na qual estuda, em parceria com um hospital de São Paulo. “Cada paciente cria uma peça em crochê, em forma livre, e nós juntamos tudo para criar um desfile final com as peças”, conta Priscila.

blog1

Priscila acredita que o artesanato traz um novo olhar para a moda (Foto: Clara Dourado)

Luxo

Esse novo olhar para o crochê também foi o ponto de partida do trabalho da estilista Larissa Müller, 24 anos. Buscando trazer um aspecto mais fashion, com modelagens mais modernas e menos “careta” do crochê, Larissa passou a criar suas próprias peças.

[NZOEIRA - 9]  TABLOIDES/NZOEIRA/1_MATERIAL ... 30/11/

Larissa cria modelagens modernas para suas peças em crochê (Foto: Helosa Araújo)

“O processo todo me fascina. É impressionante examinar uma peça com diferentes tipos de ponto e perceber que aquilo tudo foi feito à mão simplesmente com linha e agulha. E a infinidade de combinações e criações que podemos fazer com isso”, relata. Todo esse apreço carrega uma influência familiar, o que é natural em processos artesanais. “Minha mãe sempre gostou dessa onda mais ‘hippie’, já eu sou mais ‘peruinha’, e minhas peças de crochê com certeza também tem um pouco disso”, reflete Larissa, que diz gostar de produzir modelos mais sofisticados a partir do material.

Com as peças feitas a mão ganhando ares de luxo no mercado da moda, a estilista aposta na tendência como uma forma de ir na contra mão do consumo “fast-fashion” e investir na exclusividade. “O fato de serem peças mais exclusivas e com uma certa ‘história’ encanta”.

Novos tempos – cobertura SPFW inverno 2015

cadernozoeriaUrbana e cheia de atitude. Da beleza prática e natural da Colcci ao desfile-protesto de Ronaldo Fraga, essa acepção de uma mulher forte, mas não menos feminina, foi uma das apostas para o Inverno 2015 vistas durante a São Paulo Fashion Week

*Todas as fotos são de Agência Fotosite/Divulgação

A Animale abriu a temporada com uma moda clean que remetia ao minimalismo dos anos 90. Superando as expectativas do burburinho que antecedia a apresentação, Vitorino Campos fez sua estreia como estilista da marca e apostou numa cartela de cores que passeava por marfins, beges, damascos, branco e índigo. O resultado foi um belo equilíbrio de looks cheios de personalidade e elegância.

Animale

Animale

Também com referência à década do grunge, a grife UMA apresentou sua coleção embalada pelo rock ‘n’ roll da banda Ted Marengos. A coleção mostrou que opostos, envoltos com criatividade, são muitas vezes complementares, como os vestidos leves com sapatos bem marcantes ou os acabamentos puídos com bordados de efeito metalizado.

Uma

Uma

Essa preciosidade com detalhes também esteve presente no desfile da Pat Bo, segunda marca de Patrícia Bonaldi e estreante na semana de moda. A estilista mirou na estética da civilização celta e acertou em cheio ao apresentar sua visão da mulher contemporânea. Materiais como lã, tweed, jacquard e moletom ganharam trabalhos manuais preciosos que encantaram o público e prometem sucesso comercial. A mineira saiu da sua zona de conforto e surpreendeu positivamente crítica e público.

PatBo (Ze Takahashi/FOTOSITE)

PatBo

 

Moda brasileira que ainda pulsa

Aliando de forma única a força da arte com a beleza da moda, Ronaldo Fraga criou um desfile de impacto visual. Sua coleção comunicou o zeigeist (espírito do tempo) de parte do povo brasileiro como um “grito de indignação”. Seu protesto teve início com a entrada da cadelinha Capitu, da ONG Projeto Esperança Animal, com uma sacolinha escrito “Animal não é grife. Não compre, adote.” Em seguida, a cantora Cida Moreira entoou “Geni e o Zepelim”, de Chico Buarque, dando início ao desfile de Inverno 2015.

RONALDO FRAGA

O caos urbano da “Cidade Sonâmbula”, título da coleção, foi representado na passarela pelos “quatro olhos” de um ser que nunca dorme. A verticalização das cidades foi traduzida em estampas geométricas e na cartela de cores que priorizou cinza, preto, branco e vermelho. O grafiteiro Nilo Zack, que costuma espalhar suas artes por prédios em decomposição de Belo Horizonte, foi a inspiração para a estampa de palhaços. Apesar do tom angustiado do desfile, o estilista conta que é “otimista só de raiva”. (Saiba mais sobre esse desfile nesse post)

A cara do poder

Colcci

Duas poderosas despertaram curiosidade e atraíram os flashes na SPFW. Gisele Bündchen, que desfilou mais uma vez para a Colcci, mostrou porque continua como a modelo mais bem paga do mundo. Sua presença lotou a sala de desfile e recebeu aplausos a cada entrada na passarela.

5H0A7139

Já a estilista inglesa Stella McCartney passou apenas algumas horas em São Paulo, mas atraiu todos os flashes em uma coletiva de imprensa intimista e pré-venda da coleção. Sobre o projeto, destacou sua preocupação em relação ao fast fashion e também a moda de luxo. “Eu procuro uma abordagem diferente do luxo, sem usar couro nem pele e também trago uma modelagem e tecidos que não sejam tratados como descartáveis no fast fashion”. (Saiba mais sobre a coletiva nesse post)

*UPDATE

Captura de Tela 2014-11-09 às 12.09.24

Gisele e Stella foram presenças muito importantes na SPFW, mas quem causou comoção geral mesmo nessa edição foi Donatella Versace e seu desfile em parceria com a Riachuelo. A estilista, irmã de Gianni Versace, marcou presença no evento que mixou desfile e uma super festa com direito a decoração lúdica, casting estrelado e até gogo boys. Super poderosa!

“Normcore” dita tendência na maquiagem

Ellen roche

O inverno 2015 reforçou que a mulher contemporânea tem a beleza cada vez mais natural, sem afetações ou super produções. O “normcore” dita também a maquiagem como no desfile da Colcci, que usou corretivo misturado com hidratante para corrigir toda a pele, sombra marrom bem esfumada, blush e batons rosados, tudo para trazer um ar saudável. Para os cabelos, Robert Estevão aposta em fios médios e com suave balanço. “Baby liss bem leve só para dar o movimento ao caminhar”, indica o maquiador e cabeleireiro.

Tendência Sneakers

___IMG_0046 cópia

A jornalista Amanda Bahl usa tênis Adidas (Foto: Clara Dourado)

Além das passarelas, os corredores da semana de moda também são pura inspiração. Dentre as escolhas dos fashionistas que transitaram por lá, o grande destaque foi o tênis. O item que converge utilidade e conforto ganha cada vez mais espaço em produções urbanas e descoladas. Um dos “truques” de styling é apostar no contraste e mixar peças bem femininas e elaboradas, como saias rodadas ou vestidos acinturados, com o acessório esportivo.

Brilho eterno: uma homenagem a Oscar de la Renta

O universo da moda perdeu o estilista Oscar de la Renta. Seu talento, no entanto, se mantém eternizado por suas criações cheias de romantismo e, acima de tudo, sofisticação.

desenroladas-oscar-de-la-renta-2

O estilista ao fim do desfile de sua última coleção, Verão 2015

O seleto time de ícones da moda perdeu um de seus grandes expoentes na última semana. Oscar de la Renta lutava contra o câncer desde 2006 e chegou a declarar em 2013 que estava plenamente curado. Em setembro, apresentou sua coleção Verão 2015 e surgiu ao final do desfile com aparência mais saudável e disposta ao lado de suas criações.

Trajetória

Conhecido pela alta-costura em estilo romântico, o estilista dominicano priorizava a silhueta “ladylike” e caudas glamourosas. Antes de criar a marca própria, seu olhar fashion foi lapidado em trabalhos para outros nomes de peso da moda como Cristóbal Balenciaga e Lanvin.

Mas foi na década de 1960 que seu nome alcançou um sucesso meteórico. O fator da mudança? Jacqueline Kennedy Onassis, então primeira-dama dos Estados Unidos, que se tornou fã dos vestidos ultra femininos assinados por de la Renta.

De lá pra cá, o estilista vestiu muitas outras primeiras-damas norte-americanas, como Betty Ford, Nancy Reagan, Hillary Clinton, Laura Bush e a atual, Michelle Obama.

US First Lady Hillary Clinton shows off her Oscar De La Renta dress during a stop with US President ..

Hillary Clinton foi uma das primeiras-damas norte-americanas que ele vestiu

Tapete vermelho

Além da Casa Branca, as criações do dominicano são presença recorrente nos mais seletos e glamourosos eventos internacionais, como o Baile Anual do Museu de Arte Metropolitan e premiações como o Oscar, Grammy e Globo de Ouro. Nos tapetes vermelhos, tornou-se sinônimo de marca que enaltecia as formas femininas.

Por isso, era um dos favoritos de divas hollywoodianas como Audrey Hepburn, Amy Adams, Penélope Cruz e Nicole Kidman.

1988 Council of Fashion Designers of America Awards

Oscar e Audrey Hepburn, em 1989

Essa relação tão próxima da casa com o universo do entretenimento ganhou ainda mais destaque em 2004, quando um vestido rosa assinado por Oscar de la Renta foi usado pela personagem Carrie Bradshaw num dos últimos episódios do seriado “Sex and the City”. A peça causou desejo fashion imediato em grande parte do público e ganhou muitas cópias e versões realizadas por marcas de fast fashion. A atriz Sarah Jessica Parker, que deu vida à protagonista, é uma das mais fieis admiradoras do estilista, preferindo apostar em criações de maior efeito “dramático”.

desenroladas-oscar-de-la-renta-10

Episódio de “Sex and the City” no qual Carrie usou vestido Oscar de la Renta

Noivas

O apuro ímpar com a modelagem tornou Oscar de la Renta um dos nomes mais incensados também no segmento de noivas e ele esteve presente recentemente no casamento mais comentado do ano: o da advogada Amal Alamuddin com o ator George Clooney. O vestido rendado usado pela libanesa já é considerado uma das peças mais impactantes de 2014 e mostra que a força criativa do estilista manteve-se em alta até o fim. Um dos poucos latino-americanos a integrar a alta cúpula da moda, de la Renta segue inspirando sonhos com suas emblemáticas criações.

desenroladas-oscar-de-la-renta-1

Amal Alamuddin e Oscar, no ateliê do estilista

Veja mais criações icônicas de Oscar de la Renta:

(more…)