Desenroladas


Viagem por Londres: 4 locais geek para visitar na capital da Inglaterra

londres copiar

Anotem isto: Londres tem programas para todos os tipos de gostos. Ao visitar a capital inglesa, percebi que sua maior característica é ser uma cidade cosmopolita. Em cada esquina, uma história é contada. E não tô falando só da história da família real, mas da história do mundo. Londres é um verdadeiro caldeirão cultural.

Então, não seria diferente para os geeks, nerds e entusiastas do gênero. Londres é um paraíso pra quem ama livros, boardgames, histórias em quadrinhos, super-heróis e todo o universo da fantasia. Por isso, enquanto estive lá, fiz questão de visitar os locais que os verdadeiros geeks frequentam e que saem da rota turística da cidade.

Não se enganem, há muito o que visitar em Londres e já contamos outras dicas imperdíveis aqui, mas os destinos que listo a seguir são irresistíveis!

(more…)

Marcas empoderadas e veganas pra te ajudar no amigo secreto

Caro amigo secreto,
Viemos por meio desta dar umas diquinhas super bacanas pra inovar nesse fim de ano. Que tal dar um presente que, além de criativo, pode deixar ainda mais feliz aquela mana empoderada ou aquele amigo adepto do veganismo, hein?
Brincadeiras à parte, o post de hoje é realmente sobre marcas empoderadas e veganas pra sair da mesmice nos presentes de fim de ano, amigo secreto ou, por que não, para si mesma. Vem com a gente:

Decoração

Dividimos em categorias pra ficar mais objetivo e porque são muitas marcas bacanas que queremos falar. A primeira delas é a Se Empodera (@se.empodera), uma marca que expressa super bem a força feminina. Tem caneca, almofada, ecobag e bottons sempre com essa pegada feminista. Sabe o que é melhor? Ela é aqui de Fortaleza mesmo, ou seja, é só dar um alô no WhatsApp que os pedidos chegam rapidinho!

seempodera (more…)

O desafio (diário) do amor próprio

Você tem medo da palavra “gorda”? Eu não, mas já tive. E não, eu não vim falar sobre gordofobia, vim falar sobre ser plus size, sobre desafiar padrões e sobre o amor próprio.
Pra iniciar essa conversa, tenho que dizer que eu sou plus size, o que faz de mim uma mulher gorda. A palavra, por si só, traz muito mais peso na sua significação: ofensa. Mas, veja só, ser gorda nada mais é do que também ser magra, alta, baixa, morena, branca, negra e mais meio milhão de adjetivos/características que eu poderia citar aqui.
Vou contar minha história de vida pra vocês: nunca sofri com o meu peso. Como posso sofrer com algo que eu sempre fui? Mesmo 30kg mais magra, mantive minha blusa GG, meu sutiã 48, minha calça 48 e a papadinha abaixo do queixo. Mas a verdade é que essa reflexão eu só consigo fazer hoje, depois de muita análise e luta em busca da aceitação de mim mesma.
15239188_1149821388420584_1849539950_n
Muito louco isso de lutar pra se aceitar, né? Mas acontece. Esse padrão perfeito de beleza que nos é imposto faz dessas com a gente. A questão é: nós, gordos (isso mesmo, nem gordinhos, nem fortinhos, apenas gordos) não somos criminosos pelo peso que temos, usar a palavra gordo não é uma ofensa e, por incrível que possa parecer, sou gorda e não sou infeliz.
Ah, e o mais importante: gordo não é sinônimo de preguiça, desleixo ou falta de saúde. A matemática explica que a fórmula nem sempre se encaixa. Tô aqui eu de exemplo pra vocês, então.
Falar disso é algo tão visceral pra mim que resolvi prestar um serviço caso você aí, desenrolada, passa pelo mesmo que eu. 🙂
Hoje a gente começa a tag #DesenroladaPlus, em que eu, Elaine (que não sou nenhuma Tess Holliday ou Ju Romano da vida), vou vir de vez em quando falar com vocês sobre moda, comportamento e empoderamento plus size, na esperança de ajudar alguém a se aceitar e se amar mais um pouquinho.
Se sentir bonita e se sentir bem consigo mesma, não deve possuir um padrão ou um número específico. Temos todo o direito de apenas S E R, não é?