Desenroladas


Elas fizeram história na moda cearense… e a deixaram! – Melca Janebro

Se você tiver por volta de 30 anos, deve lembrar de algumas marcas de moda que foram precursoras desse movimento da valorização da produção local e foram pioneiras em alcançar visibilidade com criações autorais. Conversamos com três estilistas que fizeram história na moda cearense, mas que decidiram encerrar essa trajetória e partiram para áreas completamente diferentes: Melca Janebro, Adriana Piorski e Milena Cavalcante (Cajuína).

Com um movimento contemporâneo voltado para a valorização do produtor local, essas criativas foram vanguarda ao conquistarem seus espaços e se destacarem produzindo uma moda com forte identidade pessoal de cada uma. Mas, o que as fizeram desistir da área? Essa é a nossa pergunta para a série de posts em que conversaremos com cada uma delas!

MELCA JANEBRO

08_fashion_rio_v08_riomodahype_f_029
Melca Janebro durante o Rio Moda Hype

No início dos anos 2000, mais precisamente em 2004, um nome despontava. A internet e as redes sociais engatinhavam ainda quando Melca Janebro era uma jovem estilista que mantinha um ateliê em uma sala comercial e produzia roupas super originais. Misturava estampas, exagerava nas proporções, sugeria comprimentos e modelagens totalmente diferentes do que encontrávamos em lojas de shopping. Era jovem, moderninho, colorido, encantado! E conquistou a cidade!

A loja da Monsenhor Tabosa
A loja da Monsenhor Tabosa

Em 2005 ela abriu uma loja charmosíssima na Monsenhor Tabosa e em 2006 faz seu primeiro desfile no Dragão Fashion. Foi quando Melca começou a chamar a atenção nacionalmente, participando três vezes do Rio Moda Hype. Mas, em 2009 a loja fecha, Melca abandona a produção de roupas e passa a criar acessórios. Já em 2010, deixa a moda totalmente de lado para iniciar em um novo ramo, a gastronomia.

A marca Melca Janebro tinha uma identidade super forte. O que essas características das roupas tinham a ver com a própria Melca daquela época? E como a marca representava o estilo da época?

Eu me vestia diferente, gostava de muitas estampas.Sempre adorei os vestidos A minha marca era reflexo da minha indumentária. Na verdade, eu acho q a moda q eu criei tinha muita coisa atemporal que você consegue usar até os dias de hoje.

melca

Como se desenhava a moda na época do auge da sua marca? Como era a moda em Fortaleza?

Olha, eu acho difícil falar disso.Porque temos vários grupos em Fortaleza e naquela época não era diferente. Cada um com seu estilo. Pra mim, não evoluiu muito. A maioria das pessoas não tem muita identidade na hora de se vestir. Seja pelo trabalho ou pela própria aceitação de si mesmo,ou do grupo. Acabam se vestindo muito parecidas. O que vira febre todo mundo consome e depois passa. A moda é assim, formada desses desejos que depois de realizados passam. É certo que tem uma nova geração, descolados, diferentes, mas ainda é pouco para generalizar o mercado ou fazer massa para consumir.

Quais as melhores lembranças e conquistas você teve durante o tempo de vida da marca?

Os desfiles eram maravilhosos. Era muito trabalho mas, aqueles 5 minutos duravam uma vida.

15_576290

Qual o real motivo de ter encerrado a marca, mesmo com um projeto que aparentava sucesso? 

Eu não aguentava mais. Muito trabalho, pouco dinheiro e chegou a hora que se não encerrasse a loja iria me atolar de dívidas. Então, agi com racionalidade. Encerrei e até tentei ficar num ateliê mas, acho que já tinha dado o tempo. Eu até hoje tenho clientes daquela época. Tenho uma história e aprendi muito. Alguns lamentam.

Você partiu para um outro segmento, o da gastronomia. Como foi fazer a transição? Chegou a sentir falta da moda?

Eu parti para a gastronomia por causa do meu marido. Ele me chamou para ser sócia (não éramos casados) e eu fui. Eu só tenho medo da monotonia. Portanto, mudar é incrível, é a chance de aprender mais um pouco sobre coisas que você ainda não sabe. Essa é minha personalidade,me adequo fácil a qualquer situação.

DSC_0943
Melca e o marido, em seu atual momento
Hoje você trabalha com joias personalizadas, voltando um pouco às suas raízes. Porque apostou nesse segmento de acessórios? 

Eu sempre gostei das joias. Desde o primeiro ano de faculdade só que, achava que era mais difícil. Comecei a fazer pra mim e vi que podia investir nisso e ser feliz. Hoje eu trabalho só e agora penso em colocar 1 pessoa para me ajudar nas vendas. Tudo que passou na minha carreira foi aprendizado e hoje todos os dias aprendo uma coisa nova. Eu certamente aprendi o poder da internet, que antes (na época da loja) era tímido. Aprendi que uma boa imagem vale mais que mil palavras…

modelo_01_banner_principal00

Quais as maiores dificuldades que você enxerga para quem decide trabalhar com moda? Você ainda investiria nesse mercado? O que falta?

Maior dificuldade é o custo operacional e a falta de profissionais capacitados e tecnologia. Não investiria em moda, roupas. Falta tudo. Falta fábricas, tecidos, tecnologia, profissionais que errem menos e sejam mais comprometidos, que as leis trabalhistas parem de tratar empresários como exploradores, sem esquecer os impostos, a alta do dólar. O custo é muito alto e repassar pro cliente é complicado. Ninguém entende. Agora temos muitos magazines, até a Zara chegou por aqui,fora a informalidade…concorrência desleal para um pequeno empresário.

Hoje vivemos um movimento de valorização da moda local. Como você percebe o atual momento? 

Eu confesso que estou fora do mercado.Eu me isolei do mundo moda e tenho hábitos diferentes. Hoje eu trabalho muito, pesquiso muito (pela internet) e esse é o meu negócio e ando pouco,gasto o necessário em lojas e compro quando viajo.

Você também precisou de coragem para se reinventar quando parecia estar na sua zona de conforto. O que te trouxe essa coragem e o que diria para quem está nesse processo?

Reinventar, essa talvez seja a palavra!Adoro mudanças. Não são fáceis, mas o negócio é desapegar. Mudar a vida, o endereço, o trabalho…as mudanças até hoje foram muito positivas. Tive sucesso nas mudanças até hoje. Mudei de vendedora de loja para assistente de produção, montei meu próprio negócio,migrei para os Restaurantes, implantei o Marketing deles, montei meu segundo negócio de joias e agora quem sabe mudo mais um pouco?