Desenroladas


No Dia do Rock, Budweiser faz uma homenagem a uma mulher

O dia do rock é sempre especial pra gente. Já o contemplamos com os álbuns que marcaram nossas vidas, as garotas do rock e e as tshirts de banda. Mas, esse ano, a pauta não foi criada por nós. Ela praticamente caiu no nosso colo e vibramos juntas pela sacada da Budweiser. Isso porque a marca de cerveja resolveu homenagear uma mulher nessa data!

O rock é cheio de mistérios. E um deles é: quem criou o ritmo que faz sucesso no mundo todo? Mesmo que você já tenha ouvido falar sobre o pai do rock ou o rei do rock, a verdade é outra. E, no Dia do Rock, Budweiser vai mostrar a real origem para o público. O rock foi criado por uma mulher que não seguiu padrões, que fez o que ninguém fez: Sister Rosetta Tharpe.

Sister Rosetta Tharpe nasceu em 1915, na cidade de Cotton Plant, Arkansas, Estados Unidos, e é considerada por muitos especialistas a mãe do ritmo. Com seu jeito autêntico, ela alcançou grande popularidade nas décadas de 30 e 40, graças à sua mistura única de letras gospel e violão elétrico com o ritmo do rock ainda incipiente na época. Sua música “Strange Things Happening Every Day”, gravada em 1944, foi a primeira música gospel a figurar no top 10 da Billboard. Apesar disso, ela nunca teve seu nome gravado no hall da fama.

Com sua atitude, ela inspirou Elvis, B.B King, Bob Dylan, Chuck Berry, Etta Jones, Johnny Cash e Little Richards e outros monstros do rock. Robert Plant, vocalista do Led Zeppelin, inclusive gravou uma música em sua homenagem: Sister Rosetta Goes Before Us.

Ou seja, a Budweiser sacou que cerveja e rock é coisa de mulher, sim! (ouviu, Itaipava?)

Em tempo…

Siste Rosetta Tharpe já foi tema de documentário, o “The Godmother of rock & roll”. O vídeo oferece um reconhecimento da sua influência sobre a música americana. “Sem a ‘godmother”, o rock poderia nunca ter rolado’, diz o biógrafo de Tharpe, Gayle Wald.