Desenroladas



4 Blogueiras plus size que nos inspiram

O post de hoje é pura inspiração! Para aqueles dias em que tudo tá meio nebuloso, nenhuma roupa parece assentar no corpo ou para os dias em que acordamos second guessing cada dobrinha e gordurinha a mais no nosso corpo, te garanto um sem fim de manas #DesenroladasPlus que vão te ajudar a sacudir a poeira e arrasar.
As blogueiras plus size que vou indicar hoje, inspiram não só pela beleza e pelo senso de moda incrível, mas por, mesmo em outros estados do Brasil ou países, compartilharem da mesma luta que nós e diariamente fazerem a diferença num mundo tão cheio de fórmulas e padrões.
Ju Romano
Eu tinha como começar diferente? A Ju (@ju_romano) é jornalista, de São Paulo e está à frente do “Entre Topetes e Vinis”, primeiro nome do seu blog, desde 2009. Ela usa suas redes sociais, especialmente o blog e instagram, para dar dicas, falar sobre ser gorda com muito bom humor, questionar padrões e livrar a sociedade das regras que nos são impostas e, no fim das contas, acabam podando a nossa criatividade e liberdade.
Ah, como se não fosse suficiente, ela foi a primeira gorda, com direito a dobrinhas e celulite, a sair na Playboy. É ou não a maior inspiração de uma vida?
ju-romano-e-a-primeira-mulher-estilo-plus-size-que-posa-para-a-revista-playboy_951041
Gisella Francisca
Essa moça é carioca, negra, de cachos, mãe e plus size maravilhosa. Hoje ela vive em Oslo mas desde sempre o seu blog fala sobre sempre buscar alcançar uma melhor versão de nós mesmos.
A Gisella (@gisellafrancisca) acredita que o movimento de aceitação pessoal é o estopim para aumentar nossa qualidade de vida e é capaz de mudar todo o ambiente ao nosso redor, começando de dentro pra fora.
gisella-francisca-plus-size-fest-antrekk-lindex-norge-store-storrelser-7-678x1024
Nadia Alboulhosn
Nadia (@nadiaaboulhosn) possui o blog que leva o seu nome desde 2010 e, desde essa data, ela consegue tombar com o nosso coração. Ela é americana, com descendência libanesa, e mora em Orlando.
Apesar das curvas, Nadia já foi capa da Vogue Italia, Complex Magazine, Seventeen Magazine, American Apparel e tantas outras.
Sua mensagem é muito clara: diversidade. Ela incentiva a reinvenção dos padrões da indústria da moda. Nem gostamos, né?
wpid-img_20140722_152841
Tanesha Awasthi
Acho que ela foi uma das primeiras blogueiras plus que eu comecei a seguir. Motivos óbvios: linda, empoderada, estilosa e com uma mensagem incrível. Eu que acompanho desde o início, pude perceber que o blog da Tanesha (@girlwithcurves) tem a missão de mostrar para as mulheres que podem usar o que elas amam, que mulheres com curvas podem usar o que as fazem se sentir bem e que não existem regras para o nosso corpo.
captura-de-tela-2016-12-01-as-13-16-21
Educar, incentivar e inspirar manas de todos os tamanhos, raças e idades, promovendo a confiança nunca é demais, né?

Marcas empoderadas e veganas pra te ajudar no amigo secreto

Caro amigo secreto,
Viemos por meio desta dar umas diquinhas super bacanas pra inovar nesse fim de ano. Que tal dar um presente que, além de criativo, pode deixar ainda mais feliz aquela mana empoderada ou aquele amigo adepto do veganismo, hein?
Brincadeiras à parte, o post de hoje é realmente sobre marcas empoderadas e veganas pra sair da mesmice nos presentes de fim de ano, amigo secreto ou, por que não, para si mesma. Vem com a gente:

Decoração

Dividimos em categorias pra ficar mais objetivo e porque são muitas marcas bacanas que queremos falar. A primeira delas é a Se Empodera (@se.empodera), uma marca que expressa super bem a força feminina. Tem caneca, almofada, ecobag e bottons sempre com essa pegada feminista. Sabe o que é melhor? Ela é aqui de Fortaleza mesmo, ou seja, é só dar um alô no WhatsApp que os pedidos chegam rapidinho!

seempodera (more…)

Os originais da Netflix que todo mundo precisa assistir

Todo mundo conhece e, provavelmente, já assistiu as séries e filmes mais famosinhos e badalados originais da Netflix, né? Mas e aquelas que ficam ali no limbo da plataforma, você já testou dar o play? Pois é, é dessas séries que viemos falar hoje.
A Netflix ultimamente tem arrasado com séries como Daredevil, Jessica Jones, Luke Cage, Stranger Things e House of Cards. Mas pra quem não sai fuçando o site, acaba perdendo umas outras produções independentes que são tão incríveis quanto.
Selecionamos algumas pra você fazer aquela maratona. Se liga!

Black Mirror
blackmirror-cartaz-620x620
Essa produção é até famosinha e muito conhecida por dividir opiniões de quem assiste. Black Mirror é daquelas que ou você ama ou você odeia, sabe? No caso, eu amo (e odeio, ao mesmo tempo). Originalmente, ela não é produzida pela Netflix, mas após a 2ª temporada foi comprada pela plataforma para dar continuidade à série. Black Mirror é um seriado britânico de ficção que trata de temas bastante sombrios e, algumas vezes, satíricos que analisam a nossa sociedade e, especialmente, no que diz respeito ao uso de novas tecnologias e suas consequências.
Cada episódio de BM possui um enredo, elenco, set e realidade diferente, mas todos tratam basicamente da forma como vivemos agora. É o tipo de seriado que você nunca sabe o que esperar e, analisando rapidamente, tudo se passa num futuro muito próximo de nós.
A 3ª temporada estreou dia 21/10 e, em pouco tempo, anda dividindo muitas opiniões.

Easy

A série que também segue o formato antológico de Black Mirror – com elencos e enredos diferentes a cada episódio – chegou despercebida em pleno setembro na Netflix. Também com a estreia da 2ª temporada de Narcos e a série Luke Cage fica um pouco difícil, né? E é justamente por isso que ela está na nossa lista.
Baseada no gênero “mumblecore”, um movimento artístico do cinema independente americano, onde os filmes são feitos de forma simples e com baixo orçamento, mostram grande nomes do cinema, como Orlando Bloom, Dave Franco e Malin Akerman em cenas que jamais teríamos imaginado antes.
Easy fala dos relacionamentos do cotidiano. Isso mesmo, aquele que eu e você vivemos diariamente, as suas dores, delícias e crises que fazem parte da nossa vida. Uma trama fácil de se identificar e 8 episódios com temas íntimos e realistas perfeitos para assistir numa tarde de domingo.

Mascots

Também tem opção pra quem curte uma boa comédia. Mascots é um pseudo documentário que fala sobre uma Competição Anual de Mascotes: depoimentos, bastidores da “competição” e o próprio concurso são mostrados no filme.
É o tipo de produção que causa um estranhamento a princípio, por isso muita atenção ou algumas piadas podem passar batido. O enredo é bem simples e mostra, de forma até caricata e bem excêntrica, os participantes da Competição Anual de Mascotes.

3-por-cento

E, por último, a primeira produção brasileira da Netflix (que ainda não estreou na plataforma, mas que já deixou todo mundo ansioso!). 3% é um espécie de thriller pós-apocalíptico que se passa aqui mesmo no Brasil, num universo distópico.
O enredo conta que a maior parte da população agora mora no Continente e os moradores quando completam 20 anos de idade têm o direito de participar do Processo, um tipo de seleção que oferece a oportunidade única de ir viver em Mar Alto, um local com melhores oportunidades e que pode oferecer uma vida mais digna.O nome da série vem justamente do resultado dessa seleção: apenas 3% dos candidatos são aprovados e podem passar para a próxima fase. O lançamento da série será dia 25 de novembro. Enquanto isso, dá uma olhada no trailer oficial:

E aí, já viu alguma dessas? Conta pra gente!