Desenroladas


Street River: O projeto que leva arte urbana para a Ilha do Combu na Amazônia

 

Antes mesmo de decidir voltar à Belém eu já sabia que queria visitar a Ilha do Combu. O motivo? Casas de palafita coloridas com arte em plena Amazônia. A primeira vez que tomei conhecimento sobre elas, foi através de um post da artista cearense Tereza Dequinta que mostrava uma arte que ela e o parceiro de vida e de arte, Robézio Marques, haviam feito em casas ribeirinhas nessa região. Entrei no perfil da dupla, o Acidum Project (@acidumproject), e conheci o Street River. Foi amor à primeira vista.

Idealizado por Sebá Tapajós, o projeto é uma homenagem aos 400 anos de Belém, completados em 2016, e tem como objetivo levar arte urbana para quem vive do outro lado da cidade. Além de Sebá, participam da iniciativa os artistas Fael Primeiro (BA), Acidum Project (CE), Kajaman (RJ), Mundano (SP), Toys e Omik (DF).

Com as passagens compradas para Belém, comecei a pesquisar sobre como chegar ao Combu e… é muito fácil, gente. A Ilha fica beeem pertinho da capital do Pará, acessível por barco, com um passeio de cerca de 15 minutos. Enquanto o barco vai se distanciando do porto, o Rio Guamá ganha nossa visão trazendo paisagens únicas. Chegando na Ilha, combinamos com um barqueiro de nos levar até as “casinhas coloridas” e ficamos ainda mais surpresas com as obras pessoalmente. O impacto das cores e das artes (por vezes conceituais e abstratas) numa paisagem tão natural e simples como casas de palafita, é incomparável. Um espetáculo que merece ser apreciado e que ainda rende muitas fotos incríveis para quem, como nós, ama registrar suas andanças pelo mundo.

Fotos: Clara Dourado e Lia Baquit | Vestido, body e short: Ahazando | Sandália slider: Melissa